28 Aug 2008

Miopia?

A crise alimentar poderia ter sido evitada se as decisões se tivessem baseado na análise dos mercados em vez de promoverem interesses especiais. “ – quem o afirma, do alto da sua reconhecida sabedoria, é Moisés Naím – editor chefe da Foreign Policy, uma das poucas revistas que me prendem a atenção pela crueza e acutilância das análises à actualidade e teor dos artigos abordados.

Moisés Naím esmiúça frontal e directamente a teoria que “podemos responsabilizar muita gente pelos elevados preços dos alimentos. Mas não podemos incluir os pobres nessa lista”, deitando por terra a obstinada justificação que alguns analistas divulgam responsabilizando os pobres e a sua cada vez mais intensa procura por comida como um dos factores decisivos no aumento dos preços no geral. Teoria que aos meus olhos, que de analista nada tenho, me pareceu algo ridícula ainda que a tenha visto ser sustentada em argumentos convincentes.
O encorajamento dado aos agricultores que diariamente se afastam da produção de colheitas para rumarem ao etanol e ao biocombustível, sem a devida e necessária compensação em termos de mantimento dessa mesma produção a níveis satisfatórios, é, segundo Naím, uma das principais causas da presente crise. Houvessem tratado a miopia que caracteriza a defesa de interesses especiais e a previsão de 33% no aumento dos preços dos próximos anos deixaria de fazer sentido.

Extrapolando para outros sectores da vida em sociedade, acabo de ler o interessante artigo de Naím sorrindo da coincidência que me circunda.
Miopia? É certamente a doença que nos caracteriza actualmente.


Fonte: ForeignPolicy.com