17 Sep 2008

Modigliani




when i know your soul i'll paint your eyes .. Modigliani, pintor

Vi-lhe a vida. Brilhantemente interpretada por Andy Garcia.
Brilhantemente abrilhantada numa dedicatória que alguém fez à sua filha, órfã aos 6 meses de idade.
Vi-lhe o casebre onde vivia, a sua própria infância que sempre o acompanhou até ao dia de sua morte. Morte prematura e idiota como o são todas as mortes. Mas neste caso revestida de uma ironia com a qual pautava o seu discurso. Ironia fina de italiano inconformado, rebelde.
Reconheci o amor, esse sentimento em nome de um bem maior, na relação com a sua mulher. De tal forma intenso e incondicional que ela termina a sua vida, acompanhando-o à sua última morada. Mais drástico ainda quando nos apercebemos que estava grávida. Do segundo filho.
Acompanhei-lhe o arfar de uma tuberculose mal curada, agravada por uma vida de excessos. Vi-lhe a surpresa nos olhos ao reconhecer em Picasso, seu “inimigo”, o responsável pela sua libertação. O responsável talvez pelo “espicaçar” que a sua vida carecia.
A admiração e humildade ao ser apresentado a Renoir e a perplexidade comovente sem saber que responder ao Mestre quando interpelado "Are you insane?" Are we?
Vi-lhe a obra, e a vida, e fiquei a pensar: onde estará o forno que deu à humanidade pessoas como ele?
When i know your soul .. que no filme mudam para when I meet your soul .. num encontro de almas será possível olhá-las nos olhos? .. reconhecê-las? E colocá-las em tela com tanta serenidade, exprimindo esta tristeza quase feliz que pauta a sua obra? .. talvez.

:) confessa admiradora da sua obra.
Obra que conheci através do quadro Modigliani, pintado por Picasso.