8 Sep 2008

week-ends (i)


"Constância, Terra ribeirinha de Poetas e Reis", é a frase que nos brinda como mensagem de boas vindas, Constância terra de poetas, refúgio de reis, terra sem idade cheia da nossa história, feita de factos e estórias, rica em simpatia, doçaria, sorrisos de boas vindas num “voltem em breve”. Arena dos rios Tejo e Zêzere, terra fértil, verde e leve, com um constante cheiro a relva acabada de cortar. Terra de sol, de fruta doce e suculenta, de muita simpatia em gentes simples mas orgulhosas da sua Vila.
Constância, ou melhor Pugna-Tagi, denominação romana que significa Combate no Tejo, viu este fim de semana chegar duas aventureiras de mochila às costas e tratou-as como duas verdadeiras princesas.

Soubemos que D. Sebastião ali viveu por diversas vezes, em uma delas para fugir ao flagelo da peste. Concedeu à simpática Vila a honra de Villa sem carta de foral, tendo habitado a Torre do Castelo. Luís de Camões ali desterrado em cumprimento de uma pena por se ter metido com quem não devia, é ainda hoje, na boca dos mais velhos, considerado Mui Ilustre habitante da terra, com direito a Casa de Camões e um estátua cheia de significado mantida limpa e areada.
A Igreja de S. Julião, merece uma visita demorada, e a Ermida de S. João Baptista, com a sua escultura barroca representando o Senhor da Paciência, conseguiu comover-me. Senhor da Paciência, que sorte poder ser assim considerado :)

Voltámos às nossas rondas por este País lindo, que é Portugal. Deixamos de lado as notícias menos boas, atestamos o carro, preparamos um saco simples de pijama e muda de roupa e partimos de mapa na mão, pelo menos um fim-de-semana de dois em dois meses. Já tinha saudades destes nossos programas, afirma-me a princesa, ao mesmo tempo que procura qual a saída em que temos de virar. Também eu, penso intimamente, também eu, sorrindo tola por ter um dia pensado que talvez não os fizesse mais. Disparate!

No ano passado dedicámo-nos pouco a este nosso hábito, conhecendo apenas alguns Castelos e Museus, que fizeram as delícias da princesa, este ano decidimos visitar pequenas vilas, pequenos recantos, descobrir aqueles detalhes de que é feita a vida fora da grande cidade. Eu revivo alguns locais por onde já andei, ela descobre-os em primeira mão, curiosa, pertinente, companheira.

Voltámos cansadas mas cheias de verde, cheias de história, adormecendo num sono profundo e retemperador.
Eu já escrevi várias vezes o que para mim é a felicidade não já? .. Não me repetirei, então ;)