15 Oct 2008

Blog Action Day 2008 - POVERTY - 15th October

Difícil é reconhecer de longe
a índole de muitos, por mais que sejamos sábios:
de facto, alguns escondem sob a riqueza a sua maldade,
outros, sob a miserável pobreza, escondem a sua virtude
Téognis .. Poeta, Grécia Antiga


E que virtude maior escondem os que nada têm se não a capacidade, teimosia, persistência e esperança em manter-se vivos.

E qual será então a nossa obrigação, perguntam-me .. esgotadas que estão as promessas de erradicar esta e outras realidades em programas governamentais assumidos, assinados e guardados no armário.

Estou cada vez mais convicta que é ao comum dos mortais, grupo no qual me incluo, que vai aparecer a grande solução e que é dele que se espera um activismo em prol de um bem maior. Utopia? Sei que sou muitas vezes acusada de o ser, inclusive ingénua, crente e crédula, mas pensem comigo:

Considero a obrigação da partilha, de levar a água e o pão onde eles não existem, de assumir a minha quota-parte de responsabilidade neste mundo, na minha passagem por este mundo que não pode resumir-se só à postura pacífica do trabalho, casa, educação e acompanhamento, família, Domingos, espectáculos, amigos e Amigos, jantares e almoços, férias, natais e aniversários. Amores, desamores, “nuncas” e “para sempres” em quantidades industriais que desafiam o bom senso.
Trabalho, trabalho, trabalho, prendas, dinheiro, lembranças, missa, esmola.
Sorrisos e abraços, agradecimentos e zangas. Amizade e pazes e zangas para mais pazes.
Até ao infinito, eu no centro do mundo que me viu nascer? .. Não, obrigada.

O empenho em fazer que mais não seja uma décima de milímetro no imenso mapa de preocupações sociais que há mais quem tenha.
A noção clara que o que faço é a grande, enorme, abissal diferença entre fazer algo .. e não fazer rigorosamente nada.

Só isso. Não é difícil, vos garanto.