28 Nov 2008

mulheres .. !

Juntam-se as amigas num almoço. A conversa versa sobre nada e sobretudo sobre tudo. Fala-se dos filhos, das conquistas e das perdas, das saudades de outras coisas, dos projectos, do Natal, da Passagem do Ano, da crise, dos apertos, dos empregos e dos chefes, e a conversa cai, aos trambolhões, na internet. Elogiam-se as páginas pessoais. Engraçado tema de conversa em pleno século de tecnologias. Apreçam-se os textos e os temas. Critica-se.
O mulherio é insuportavelmente exímio na arte da tosquiadela, como espero que todos saibam.
Aquela que se espelha e se espalha “se a criança um dia vem a saber nunca lhe perdoará” atira a Maria, acutilante como sempre e leitora atenta de tudo e de nada, “Não sejas mazinha” respondo-lhe .. A outra que ataca de forma brilhante tudo quanto é política .. já que políticos temos poucos “gostava de escrever assim!”. A senhora das letras, que escreve como poucas, as imagens, fotografias e afins que nos encantam o olhar. Os blogues a quatro, oito, doze mãos, sempre valiosos quando o que se pretende é informação variada tal como variado o ponto de vista sobre a mesma. As páginas de poesia, aqui estamos de acordo, há duas ou três das boas no nosso universo de leitura.
Os pseudo-literários, intelectualismo de alcatifa, cujos autores arremessam postas de pescada à cabeça dos desacautelados, com um humor duvidoso pretending to be ironic .. (Credo Meninas .. !) os verdadeiramente literários, onde aprendemos sempre qualquer coisa que mais não seja as últimas novidades em termos de publicações, os levezinhos e agradáveis com anedotas e citações, os que nos fazem por vezes verter uma lágrima e até aqueles com quem não perdemos dois minutos de leitura, os outros que servem de “embraiagem”, apuradíssima técnica de favo-de-mel a escorrer das letras, ou os copy-pastes assinados, sem indicação de autor, leia-se o autor real tenha ele dez anos ou um século, atitude a raiar a arte da patetice.
Nossa Senhora, dissemos isso nós? Dissemos.
Depois os outros que pressupõem a existência de alguém realmente conhecedor, possuidor daquilo que chamamos “caco” e “bagagem”, onde fazemos descobertas de temas interessantes, ou recordamos outros tantos. As zangas na internet, o bate porta dos ofendidos das caixas de comentários, o ridículo do “keep on reading” depois de uma atitude dessas, amém ao site meter, mais gargalhadas, as querelas blogliticas e os recados. Como diz alguém que todas gostamos de ler “quem nunca mandou um recado que atire o primeiro post”. Actualizam-se informações sobre quem escreve com quem, quem saiu e quem entrou da blogosfera, os que conhecemos e os outros. À distância do acontecimento, rio-me, que assunto! E que diferença dos assuntos que provavelmente pautaram as conversas das nossas mães quando tinham a nossa idade.
Numa coisa estamos todas de acordo.
Foi difícil arranjar um tema em que estivéssemos mas neste estamos .. irredutíveis.
Os comentadores das nossas páginas merecem-nos sempre uma resposta. Sejam da pandilha ou não. Conhecidos ou amigos ou não ou nem. Com “nicks” portugueses, estrangeiros ou simplesmente anónimos.
É uma questão de princípio. Porque sim.
E fica o recado dado ;)

Agora vou de fim-de-semana xl que isto de destilar fel não é para mim .. deixou-me a modos que .. exaurida ;)
Nice week end to you all *