20 Jan 2009

public service (viii)

O Tim dos livro(s)em critério, um espaço que me encantou e ao qual recorro com frequência pela simplicidade e autenticidade com que se apresenta, colabora agora aqui, num outro registo, igualmente rico e interessante, de experiência feito.
Parabéns !

Porque quem escreve como ele escreve, deve (tem de) ser lido :)

“ (…) A magia dos livros de António Lobo Antunes .. (…) Cada vocábulo tem o mesmo valor lido individualmente ou numa frase, cada palavra é burilada até à exaustão, um trabalho quase silencioso que não escapa aos olhos de ninguém. Percebe-se que onde está aquele verbo não poderia estar outro, onde está aquele substantivo não há lugar para mais nenhum. Talvez por isso as palavras e as expressões se repitam ad eternum, estão perfeitas, não há necessidade de procurar outras. Dizem uns. Outros dizem que Lobo Antunes escreve o mesmo livro há trinta anos. Indiferente a O Arquipélago da Insónia é que ninguém fica."