11 Feb 2009

intimism (xxix)

A paixão começou no Verão.
Rima, claro, que a estação é dada a coisas de coração.
Ai! Pronto .. Reformulando.

O Atl de Verão oferecia, entre uma imensidão (não tenho culpa ora, a palavra termina assim) de coisas atraentes, radicais e assim-assim, passeios a cavalo. Ainda que sem nunca ter experimentado, a pequena lá de casa, armada em amazona, verbaliza um quero experimentar, ao que o Filipe, aventureiro mas diligente monitor lhe pergunta: tens a certeza? Ela não tinha, mas ainda assim Upa! Chegou a casa, lembro-me, afogueada da excitação explicando-me entre atropelos que tinha feito um novo amigo. O Reef. E o Reef era o cavalo mais doce, mais fofo, mais terno e mais amigo que ela alguma vez vira. Mas já tinhas visto algum assim de perto que não seja os da feira da Golegã, lembrando-me dos ai mummy! de cada vez que eu colocava a minha palma por debaixo de um dos focinhos. Oh mummy, isso são os outros respondeu-me. O Reef é o meu novo Amigo. O Atl durou cinco semanas e duas vezes por semana os amigos encontravam-se ali para o lado da Malveira, ela de calça arregaçada e toque largo na cabeça, o bicho a acenar-lhe, a cabeça fora da baia como se a esperasse e a dona do sítio a rir-se num quero falar com a tua mãe.
Claro que estas coisas custam dinheiro.
Não muito neste caso que não me parece que o local se vire exclusivamente para o comércio, mas ainda assim. A vontade de ir mais longe e aprender a andar de sela e rédea verbalizou-se e a mãe fez a surpresa no Natal de lhe oferecer um cartão com aulas, a avó e os amigos ajudaram com um fato completo, e os olhos da princesa a abrir os embrulhos não deixaram margem para dúvidas: era uma prenda muito especial.
Começou a aprendizagem no sábado passado. A instrutora cumprimenta-a com uma intimidade que estranhei e diz-lhe o Reef tem andado insuportável de saudades tuas gritando oh Reef olha quem aqui tens.
Eu juro que tenho de acreditar que os cavalos são ensinados a fazer aquilo com todas as crianças. E para a próxima vou estar atenta às outras crianças para comprovar esta teoria que precisa de ser comprovada. Porque a cabeça do bicho nos braços da minha filha, um resfolgar mansinho como se conversasse com ela, e aquele casco a bater no chão de impaciência .. assustaram-me ;)