18 Mar 2009

intimism (xxxv)

Desarma-me a Directora de Turma da mais que tudo lá de casa. Encontramo-nos no baile de carnaval, organização primorosa de Professores e Auxiliares e entretemo-nos na conversa, enquanto ela, atenta, controla a criançada e eu de sorriso pateta encanto-me com as coreografias da miudagem.
Os rapazes, alguns, trocistas, a um canto, a mal-dizer as mascaradas que, indiferentes aos olhares, continuam o desfile animadas como convém à época. A princesa desceu a Ciências, lembro-me de ter chegado a casa furiosa com o Bom +, e com a Professora que disse alto e bom som a sua nota numa advertência à turma que se espalhara ao comprido nos sistemas respiratório e circulatório. Fui dar com posts-it colados em cima das figuras do livro e eu consigo estudar com essas coisas nojentas aí a olhar para mim? refira-se que por “coisas nojentas” ela entende os pulmões e as veias, artérias e vasos..
Ri-se a Directora, dos episódios, conta-me uns outros, e remata a frase com A Mãe tem uma das crianças mais bem formadas que já alguma vez tive a honra de ensinar. Isto a propósito de um outro incidente, que me pormenoriza com detalhes de malvadez não vá eu não acreditar, a respeito de um descuido de uma amiga e da forma como a minha deu a volta à situação sem provocar qualquer alarde ou desconfiança por parte de quem estava presente e evitando a gozação até ao final do período lectivo! Ou depois disso ..
A honra de ensinar é uma frase bonita e cheia de significado na boca de uma Professora, nos dias que correm. Principalmente nos dias que correm. Uma criança bem formada penso que seja o sonho de qualquer Mãe. De qualquer Pai. O que senti na altura fica para mim. Ainda que não esperasse dela outra atitude que não a tomada.
E fica para mim por uma razão simples, não quero ser responsável por mais nenhuma reclamação sobre teclados que deixam de repente de funcionar. Humidade, dizem .. ;)