10 Mar 2009

.. mulher sofre ;)

Sempre a achei uma mulher bonita.
Madura e bonita.
Com aquela beleza que se obtém quando estamos bem connosco e com a vida. E a vida corria-lhe bem.
De um dia para o outro começou a abusar das gangas. Não que nos exijam um restricted dress code por aqui mas ainda assim.. camisas de fora a esconderem o pneu que de disfarçável passou a proeminente. Cortou o cabelo e pintou-o e começar a proferir palavras que até então me eram desconhecidas na sua maneira de ser .. operações plásticas e botox, rugas e dietas.
Passou semanas a comer cenouras para aparecer lisa e sem mácula, sendo que na semana seguinte, os quilos surripiados à constituição eram devolvidos em força .. e em dobro.
Passou a frango cozido e o cheiro na cozinha tornou-se insuportável.
Somou café sem açúcar e sumo de limão com fartura a qualquer hora .. todas as horas, e a tez de levemente bronzeada que combinava na perfeição com o cabelo que havia sido encaracolado, passou a lívida, olheiras profundas e um mau humor permanente.
Inconstante oscilava entre a euforia e a apatia. Tornou-se difícil dialogar. Havia um sem número de problemas para resolver, sempre, que lhe consumiam a inteligência que havia sido .. imensa:
Era a bainha das calças que escondia nas botas altas, próprias de fim-de-semana, a camisa que não caía como pretendia, a ruga no meio da testa que teria de voltar a encher.

Ao mesmo tempo outra alteração curiosa. O telemóvel até então sossegado, não parava de apitar com mensagens recebidas ao minuto e respondidas enquanto se atarefava no trabalho diário.
De chofre, no outro dia, e fruto de uma intimidade para com quem comigo trabalha há demasiado tempo, atirei-lhe .. Mouro na costa, Madame? .. o olhar toldou-se, o lábio inferior tremeu, carregou a ruga da testa, agora sim visível e respondeu-me: dez anos mais novo que eu .. nem calculas o que tenho passado!