25 Mar 2009

present Perfect

A mais pequenita da família fazendo alarde dos imensuráveis olhos azuis, benza-a Deus, como se diz na terra do meu Pai, guincha assim que se lhe viram as costas.
O rapazote de quase três anos, caracóis loiros e grandes olhos castanhos, corre para ela aflito e no ímpeto quase a atropela. Sai a minha, menina crescida do cimo dos seus onze anos, em defesa do bebé segurando airosa a cadeira e apanhando a chucha em voo picado. Disputam-lhe o colo e ela ri-se à gargalhada tentando colocar ordem: uma perna para cada um e mai nada!
O menino dos olhos negros, cabelo igual ao do Pai, grosso e liso, cinco anos acabados de fazer, vem ter comigo à cozinha e desabafa: what a mess tia, can i have your attention here? fazendo-me rir com gosto que lhe sei as artes do it’s my turn now!

Meu Deus, penso, Obrigada!
Obrigada pela repetição da história. Há bem pouco tempo éramos nós .. agora são eles. E eu de avental sujo de farinha, uma mão no clique do microondas onde ferve um biberon (que obviamente aqueceu demais) e outra a equilibrar um tabuleiro de taças de cereais (caiu uma .. de três .. não está mal mas tenho de treinar) dou graças(?)
.. devo estar doida. Só posso estar doida.

;) Mãe, Tia, Madrinha .. isto é muito para uma mulher só ! É? É nada!