10 Mar 2009

readings (xii)

Giro mal o silêncio porque, mais tarde ou mais cedo, este traz consigo a definitiva ausência de som e, de repente, nem o chilrear dos pássaros, nem o arrulho das ondas, nem o embalo da poesia quando dobro a finisterra da noite.


Gostei .. muito.
E há por ali muita coisa com a qual me identifico na hora .. ainda que, em contradição assumida, preserve (ou aprenda a?) os meus silêncios.