17 Sep 2009

Há um objectivo na morte de alguém.
Tem de haver.
Mais que a perda, mais que as lágrimas que não param de correr cara abaixo, mais que o sentimento que algo ficou por dizer e tanto por viver e sentir, há definitivamente um outro objectivo na morte de alguém: o de nos fazer parar, equacionar, pensar e interiorizar o que andamos por cá a fazer e quanto tempo teremos ainda para cumprir tudo a que nos propomos.
_
Descanse em Paz.