3 Sep 2009

Honor isn't about making the right choices.
It's about dealing with the consequences
(unsourced)

E quem melhor preparado para lidar com as consequências que quem atenta propositada e impunemente contra a honra alheia? Quem difama, inventa, mescla e mascara a realidade? A doença está diagnosticada e chama-se solipsismo. Cura? Penso que ainda não foi descoberta.
Quem se atreve a atentar contra a índole de alguém que dificilmente algum dia conhecerá? Dizia a minha querida Amiga Luisa num postal publicado há uns dias, que tem no seu círculo de pessoas conhecidas e amigas dois tipos de mulheres: pelo que me foi dado conhecer através de comentários aqui deixados, e obviamente não publicados, e de emails recebidos, durante a minha breve ausência, numa verdadeira corrente de fel, com vários ou será apenas uma interveniente?, a propósito de nada, falta um tipo nessa classificação, o qual a minha educação não permite que enuncie publicamente.

Enquanto nos der gozo por aqui andar, respondia, igualmente à Luísa, a propósito do amabilíssimo e sincero comentário de boas vindas que me deixou: e essa satisfação não passa, infelizmente para alguns, por vontades alheias.
Inicia-se um novo ciclo em Outubro para quem acredita nestas coisas: façam algo por vós mesmas. Invistam na vossa vida. Mas de uma forma consistente e interna e não só para bloguer ler. E parem, para bem da vossa sanidade, de me ler. Até porque não é por me agredirem e insultarem que vou parar de escrever o que me apetece neste espaço que é meu. E depois, para realmente me prenderem a atenção, a ponto de me apetecer explorar esta troca de galhardetes com a qual anonimamente me brindam, teriam de ser algo mais inteligentes, com uma escrita mais fina e devidamente articulada, enfim ..
__
Confesso-me algo cansada deste tema, e sei que com ele canso igualmente os meus leitores que nada têm a ver com o assunto que já tem barbas brancas, pelo que é a última vez que aqui publicamente abordo esta questão, até porque se há coisa que não consigo compreender é como é que se destila tanto ódio e ressabiamento, visiveis em todos os caracteres digitados mas se continua diária e persistentemente a ler o Twice, Three Times a Lady de forma quase doentia.
A Lady .. ora aí está algo que só nascendo outra vez poderão vir a conseguir ser.