19 Oct 2009

_
Inicia-se a menina lá de casa nas artes da culinária. De sorriso enfarinhado e avental maior que si mesma, afinca-se no manuseio das facas que cortam rente e dos temperos. Em cima do parapeito da janela da cozinha, a mesma que já se pinta de tons outonais não fazendo grande caso das temperaturas de Verão, alinham-se os vasos carregados de tomilho, orégãos, manjericão, salsa e coentros, e uma já cheirosa alfazema. A princesa aprende a retirar os que estão maduros para tempero, cortá-los finos depois de lavados, e espalhá-los com conta peso e medida, deixando as minúsculas folhas soltarem-se dos dedos, inundando o ar com um cheiro agradável e apetitoso. Algumas gotas de limão, tomate cortado em pequenos cubos e cebolas a estalar em lume brando, que alouram e salpicam, a carne em cubos e um grande testo a tapar a frigideira do petisco. Ao lado, em lume muito baixo para não pegar, ferve um arroz lavado e escorrido, com pequenos pedaços de alho desfeitos com a palma da mão, um generoso fio de azeite e uma pitada de sal. A sobremesa? Maçãs assadas no forno, cobertas de açúcar amarelo, e envoltas em papel vegetal como sempre vi a minha avó fazer.

Limpa as mãos a princesa e esfrega-as com creme. Arruma o avental dependurado por detrás da porta da despensa. Limpa o balcão da cozinha, pega nos individuais e coloca os pratos, talheres, copos e guardanapos. Para a mesa, menina, chama-me a rir à gargalhada.

Felicidade?

Eu já referi, mas estou repetitiva. São os momentos. Os pequenos e deliciosos momentos que partilhamos.

PS_ estava excelente o petisco. It runs in the family .. ;)
_