29 Dec 2009

Man: God?

God: Yes?

Man: Can I ask you something?

God: Of course.

Man: What is for you a million of years?

God: A second.

Man: And a million of dollars?

God: A penny.

Man: God, Can you give me a penny?

God: Wait a second...

_


Perspectiva, óptica, panorama, probabilidade, horizonte, vista, try it on antoher angle, enfim .. :)
Que pretendo com isto?
Que os meus próximos dias por ali não passem as quick as a second, e que os Votos que Vos endereço de Ano Novo Feliz se multipliquem por todos os anos que estão por começar :)

Cheers My friends*

_

28 Dec 2009

Começou ali ao lado a votação aos textos de Natal :) iniciativa para a qual contribui com este, já vosso conhecido *
Vale a pena ler as diversas experiências, visões e até sentires de uma Quadra que, para mim, durava o ano todo ;)
Mais uma vez um Obrigada à Organização da Aldeia da Minha Vida pelo incansável trabalho a que se prestam e pela oportunidade que nos dão *

22 Dec 2009

* Merry Xmas *

_
Vou poupar-Vos às descrições lamechas por aqui de uma árvore de Natal iluminada, um menino Jesus beijado a preceito, fitas, bolas, luzes e tiras de várias cores a iluminar sorrisos e votos, desejos de um Santo Natal.
Vou poupar-Vos às correrias das crianças, o por a mesa, preparar sobremesas, embrulhos de última hora e campainhas a tocar de todos quantos chegam, que estão a chegar e eu ansiosa de todos abraçar ando de lágrima no canto do olho a desejar que a Quadra se prolongue no tempo e acalme as saudades dos outros dias mais cinzentos, sem luzes e sem bolas coloridas e com menos confusão ;)
Vou ainda poupar-Vos ao que penso de cada vez que leio, vejo ou oiço alguém ter a sobranceira petulância de criticar o Natal, no que ele significa, no que concerne, no que de melhor do ser humano consegue expor.
_
Deixo-Vos um pensamento de alguém que admiro, fazendo destas as minhas palavras numa humilde e assumida cópia à laia de Desejos de um Feliz Natal.
_
"Os povos serão cultos na medida em que entre eles crescer o número dos que se negam a aceitar qualquer benefício dos que podem; dos que se mantêm sempre vigilantes em defesa dos oprimidos não porque tenham este ou aquele credo político, mas por isso mesmo, porque são oprimidos e neles se quebram as leis da Humanidade e da razão; dos que se levantam, sinceros e corajosos, ante as ordens injustas, não também porque saem de um dos campos em luta, mas por serem injustas; dos que acima de tudo defendem o direito de pensar e de ser digno."
Agostinho da Silva, in 'Diário de Alcestes'
_
E o meu, expresso numa única linha (!) ;), a todos os Amigos que por aqui me lêem:

Concretizem os vossos sonhos,
e de caminho ajudem a concretizar sonhos alheios.
.. Mas façam por isso. Vão ver que não dói nem custa nada ;)
_
* Merry Xmas *

21 Dec 2009

.. e terminou assim o excelso concurso de jericos do presépio para o qual contribuí com um desditoso e mal retratado exemplar que, ainda assim, no matter as incapacidades desta escriba no manuseio de algo mais complexo que uma caneta ou um teclado, ganhou o primeiro lugar em ex aequo com todos os outros admiráveis exemplares em análise.
Valeu-me a democracia plenamente instituída num dos melhores, se não o Melhor, blogues deste mundo que de virtual tem cada vez menos.
_
Caríssimo Luís, Senhor o Barbeiro, ;) os meus agradecimentos * e para o ano conte com algo mais nítido, claro, ou quiçá eloquente, uma vez que assegurei vaga e inscrição num cursinho rápido de fotografia tipo: para que serve o flash e o que faz aquele botão ali em cima da máquina.
Máquina? Que máquina? ;)
_
A todos os concorrentes os meus parabéns *

17 Dec 2009

_
Lista
_
Começar a deixar o plum pudding respirar
Ir ao Sr. Alberto, que já me telefonou duas vezes, buscar o bacalhau amarelo de que todos gostamos ou .. alguns fingem gostar ;)
Deixar o carro na revisão 2ª feira sem falta, e ir buscar o da Mãe, o meu tem inspecção marcada, esta revisão é demorada e tal (andei eu durante 30 anos de transportes públicos para agora apanicar de cada vez que fico sem as “minhas” quatro rodas .. )
Reconfirmar à Mãe (as avós nestas coisas confirmam e reconfirmam trinta vezes) que a toalha de Natal está na arca, os guardanapos sim, tinham ido à lavandaria a tempo e horas, e é melhor sim trazer mais uma travessa de formigos que se acabam num instante ;)
Ajudar a princesa do reino a separar as roupas e os brinquedos – a acção de solidariedade nesta altura passa pelos bairros mais carenciados do concelho e o ATL promove a entrega a famílias devidamente identificadas. Está um monte de coisas em cima do sofá do quarto dela, tenho de supervisionar ou dá tudo o que acha que faz falta aos outros sem se importar muito que ainda lhe faça falta a ela (onde, em que parte do caminho, é que perdemos esta capacidade, Senhores?)
Ir buscar os ovos do campo à Dª Amélia .. as minhas farófias não são nada de nada sem ovos do campo!
Mandar entregar as caixas de mantimentos para o almoço dos Sem Abrigo que a Fundação de Sant’ Egídio angaria todos os anos; organizámo-nos por aqui de forma inexcedível este ano, Meninas&Meninos, Parabéns!
Acabar os embrulhos; todos os anos eu digo a mesma coisa(!): vou passar a esperar nas filas para trazer tudo embrulhado para casa – não adianta! Ninguém faz embrulhos como eu ;)
_
Ir buscar o sobrinho, a filha e a amiga da filha, que fica a passar fim-de-semana, e tentar, com a diferença de idades que caracteriza o trio, arranjar algo para todos fazerem .. ! (os embrulhos, talvez? ;)
_
(baba alert (roubei-te Nocas;): podem parar de ler por aqui – dar os parabéns à Princesa, já dei, mas quero que fique aqui registado ;) .. entre exames, actuações, ensaios, aulas extra, testes corridos à pena e práticas de tudo e mais alguma coisa, as notas finais deste primeiro período do excelso 7º ano não podiam ter sido melhores, simplesmente porque não há melhores.
Que assim continue vida fora: como lhe costumo começar a dizer (sim, que hoje é ela que acaba a frase) .. se alguém tem a ganhar és tu, filha minha :)
__
Inundei o teclado? As minhas desculpas ;) e os votos de um excelente fim-de-semana .. eu, como facilmente verificam pela lista acima, vou .. cansar-me ;))

16 Dec 2009

_
"Os índices de voyeurismo crescem na proporção inversa da falta de vida interior, (...). Este é um dos problemas do nosso tempo. "

Pedro Correia
_
PS_ apetecia-me imenso extrapolar a afirmação acima, descaradamente roubada na caixa de comentários do Delito de Opinião, mas, a falta de tempo, ai o tempo …! e o tanto que tenho ainda para fazer, impedem-se de me esticar ao comprido naqueles textos que saem de Lisboa ao Algarve e passam pelo Porto ;) e logo agora que até tinha aqui uns dados estatísticos que corroboram perfeitamente a afirmação ..! ;))
_
(negritos meus)
_

14 Dec 2009

à Atenção do Sr. Barbeiro, se fizer o favor

;)
A coisa seria bem mais simples se alguém da família me tivesse dado umas luzes de .. fotografia :) assim, meio às escuras, sei que não faço juz ao fantástico presépio herança da Avó e nem tão pouco ao pobre burro que brilha muito mais na realidade do que por aqui!

Anyway .. cá fica a minha contribuição Caríssimo Luís.
_
"(...) Quem nasceu para letras pouco dá em ciências, diz a voz popular do magnífico júri (...)"
Se gostei da justificação? Mais que isso! E que o trabalho do magnífico júri foi merecedor, ele sim, de um prémio, ninguém duvida ;)
_
Postal reeditado


11 Dec 2009

Carrega uma negatividade que durante muitos anos me magoou para lá do ponderável este dia 11 de Dezembro. Com a diferença de alguns anos perdi a minha Avó, a minha guia, conselheira e amiga .. e o meu Pai, Homem de Beira feito, conservador e justo, educador e acima de tudo “ensinador”.
Lembro-me que durante muito tempo passei por cima do dia como zombie, não me lembrando, ou fazendo por não me lembrar deste dia específico como se fosse possível adormecer a 10 e acordar a 12 sem ter a noção que aquelas 24 horas haviam sido vividas, recordadas, lembradas, sofridas. Fazia de tudo para que nada de extraordinário acontecesse neste dia. Nada mesmo. Para que um dia mais tarde, um ano mais tarde ou vários, não tivesse de o recordar por outras razões que não fosse a que queria esquecer.
_
Tive algum sucesso neste meu propósito até ao dia 11 de Dezembro de 1996. Os enjoos haviam começado há algumas semanas, havia um pequeno atraso, muito pequeno, naquele calendário que todas as mulheres conhecem, e sem querer esperar mais fui à farmácia e comprei um teste de gravidez entre o divertido e o ansioso.
O resultado vocês sabem qual foi. No dia 11. De Dezembro. Acho que este acontecimento, que poderia ter acontecido em outro dia qualquer no mês antes ou a seguir me reconciliou com a minha raiva, a minha revolta, o meu não entender, não querer entender a partida tão precoce da minha Avó. Lembro-me, porque durante os anos seguintes me quis lembrar, que nesse dia entrei pela primeira vez numa Igreja, depois de a ter abandonado, e rezei. Pela minha Avó. Depois por mim, pela minha família, e pelo filho que tinha acabado de saber trazia dentro de mim. Dois anos mais tarde repeti o ritual desta vez pelo meu Pai. E por muito revoltada que estivesse naquela altura, lembro-me de ter pensado neste mesmo dia dois anos antes, na alegria sentida naquela Igreja sozinha, e quase, quase, conseguir entre lágrimas, pressentir o sorriso franco do "velhote" contente por ter conhecido a neta, conformado numa partida que parece sempre cedo demais, deixando-nos a nós, filhos, a herança de continuar. Sempre em frente. Jamais desistir.
_
A morte, principalmente, de quem amo? Não a entendo. Mas “fui forçada” a aceitá-la.
___
Desejo-Vos um sereno fim-de-semana, se possível à beira de uma lareira *

10 Dec 2009

Começou ali ao lado outra daquelas iniciativas que faço questão de aceitar convite. Primeiro, porque se ainda não perceberam ;) há poucas coisas que me proporcionem tanto prazer como escrever :) .. depois, porque falar das minhas memórias, abrilhantadas ou não, é algo que faço sem esforço, num intimismo muito próprio de quem foi criado entre duas culturas, duas maneiras de pensar, viver, acreditar mas um mesmíssimo coração ;)
"Peneiras" à parte não percam por ali o Meu Natal, onde todos vamos versar sobre a quadra, presa ainda na memória ou actual, ou .. ou .. :)
Espero que gostem *
_
Deixo um Bem-Haja à Organização da Aldeia da Minha Vida, por mais este convite *

9 Dec 2009


Um ano novinho em folha .. a estrear.
Um ano com dias por preencher, lugares vagos em agendas imaculadas, sem notas nem apontamentos.
Um ano novo, e ainda por cima par, tudo novo. De aproveitar.
Como se “começar de novo” tivesse ainda algum sentido.
Dou por mim a recordar o primeiro banho do ano, numa altura em que se cumpriam tradições porque sabia bem fazê-lo.
Lembro-me do mais corajoso, o velho Tio, que não obstante a temperatura para lá de mínima, entrava na gélida água de um furioso mar dia 01 de Janeiro cumprindo um ritual com direito a duas semanas de cama logo a seguir.
Recordo ainda a peça de roupa azul, feita em casa normalmente, que todos estreávamos num acreditar que teríamos assim boa sorte, paz e saúde.
Recordo as passas que se engoliam, o salto para cima da cadeira, os votos e desejos em que se acreditava, com toda a força acreditava-se que assim se cumpririam.
A brand new year .. de cada vez que se inicia um novo ano tenho esta sensação, qualquer coisa de novo, de particularmente bonito, que me é acessível, como não preenchê-lo sendo feliz ? ;)

7 Dec 2009

can't wait ;)

4 Dec 2009

_
Inspira-me este texto da Margarida a concordar. Inspira-me a dizer o que penso sobre o tema. Frutuosa é esta vida que me permite a mim e a ti numa mesmíssima (será?) situação aprender diferente, sentir diferente, gritar diferente e acabar igual.
_
Matar alguém dentro de mim?
Alguém que já ocupou o canto do coração dedicado ao sentir de todo o músculo? Alguém por quem vibrei, com quem vivi, com quem ri e por causa de quem chorei? (tenho para mim se que em dada altura não choramos não sentimos verdadeiramente, que querem?). Matar o passageiro que a vida colocou direitinho, sentado e bem penteado no lugar ao lado daquele que eu ocupava, e que por causa de uma coincidência tão parva quanto um concerto de piano ou uma ida à praia, um passeio de moto ou outra coisa qualquer assim simples e idiota se amarrou a mim e eu a ele e fomos felizes, infelizes e felizes outra vez?
Não.
Nunca matei ninguém que tenha deixado entrar sentimento adentro com artes de invasor. Mas .. ah pois, achavam que era assim coisa linear de Mulherzinha bem comportada que fala francês, inglês e alemão e toca piano, não? Mas .. consegui outro algo. Esquecer. E acima de tudo .. ignorar. Num processo lento e acarinhado, por vezes rasgado e ensopado em lágrimas, sem desprezo, sem dor de cotovelo ou em outra qualquer extremidade de corpo, com alguma angústia. Esquecer.
Ignorar.
E acima de tudo (este acima, acima do outro s.f.f.) permitir ao músculo que vibre de novo, se encante e me encante, me faça feliz e me permita ser feliz.

Parece fácil não parece? Mas não é.

Tenham um excelente fim-de-semana :)
_

3 Dec 2009

deficiência Vs diferença .. será?

_
Por causa do que li aqui :) lembrei-me do que havia escrito neste postal.
Hoje, a Joana já está no quarto ano. Fez um ano em dois civis mas para ela, para os pais e amigos, o tempo não se mede em calendários escrupulosos com direito a passagem ou chumbo mas sim em sorrisos.
E o sorriso que lhe vejo na carinha ternurenta quando se despede da minha filha ao final da tarde, no ATL, é um sorriso feliz.
_
Acho que é em sorrisos felizes que temos de passar a equacionar este tema.
Porque há muito quem se ache normal e não queira saber o que isso significa.
-
_
Je crois qu'il faut presque toujours un coup de folie
pour bâtir un destin.
_
and I totally agree Miss Yourcenar ;)
_