13 Jan 2010

O psicótico vive assim aprisionado numa circularidade repetitiva que o impede de ser criador de si mesmo, para si mesmo, caindo no poço da inexistência mental e da gradual desertificação psíquica.

.. explicou-me há dias uma boa amiga, psicóloga de formação e profissão, que são várias as psicoses de que sofre o Homem moderno. Sendo que a que acima se explica é a principal responsável por esta falta de compromisso, este apontar de baterias afiladas a vários objectos ao mesmo tempo, este procurar incessante ainda que se encontre, passa adiante e continua a procurar, filtra, côa, bica aqui e acoli.
É engraçado como em tempos expliquei uma postura semelhante, obviamente que não com estes termos elaboradíssimos de quem sabe do que fala e escreve, mas como leiga profunda.
E leiga no sentido de não entender até hoje como se repetem circularidades sem nunca se lhes encontrar a outra ponta.

Inspirado aqui este. Deixou-me a pensar Luísa :)
_