28 Apr 2010

.. são imensos os planos de futuro. Será assim tudo tão simples pergunto-me? Normalmente, naturalmente e com outros mentes à mistura, mentiras aparte, o facto é que as coisas são por norma simples, transparentes, lineares e muito fáceis de alcançar.
O grande busílis desta questão está na auto confiança e falta dela, na auto estima e sua inexistência e em todos os opostos de que somos capazes desde que nos lembramos de respirar. É por tal que há quem viva uma vida de faz de conta e se orgulhe disso e quem se dedique a salvar a vida dos outros e faz com que nos orgulhemos disso.
Somos mais positivos se estivermos rodeados de gente positiva? Sem dúvida. E agimos de forma mais coerente se identificarmos a coerência nos comportamentos alheios? Penso que sim.
Tal como rapidamente resvalamos para o contrário de tudo isso quando quem está a nosso lado passa todos os momentos disponíveis a lamentar-se da triste sina que lhe saiu quando alguém decidiu conceder-lhe um tempo a que pomposamente chamamos vida.
_
Isto vem a propósito de quê? A propósito de tudo. De nós, da nossa vida, das nossas opções na parafernália de escolhas que temos pela frente, da procura, da melhoria, da ambição, da felicidade - aquela real que se sente e se vive e raramente se apregoa ;)